Pirambu Digital

O Pirambu Digital é um empreendimento sócio-educacional e cultural comunitário, baseado em princípios da economia solidária, decorrente da parceria entre o CEFET Ceará, hoje Instituto Federa do Ceará (IFCE) e o Movimento EMAÚS [EMAUS].

 

É um projeto de “inclusão social com tecnológica digital” realizado no Bairro do Pirambu, uma favela de Fortaleza com 265 mil habitantes, uma das maiores do Nordeste Brasileiro, com uma alta concentração urbana, baixa escolaridade e, conseqüentemente, baixo índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

 

A parceria entre o Movimento EMAUS e o CEFET Ceará começou em 1993, quando professores voluntários prestavam apoio em atividades sócio-educativas à escolinha Santa Eliza, um projeto social do EMAUS. Em 2003, estas instituições, apoiadas pela empresa LG Eletronics, por meio da Lei de Informática, iniciam um grande projeto de formação profissional de jovens do bairro. 

 

A partir de um processo seletivo, foram classificados 120 jovens do Pirambu, com idade entre 18 e 24 anos, para ingresso em dois cursos em áreas específicas: Desenvolvimento de Software e Conectividade. Jovens que, até então, mal conheciam um computador, tiveram a chance de se tornarem técnicos em informática

 

Ao final de dois anos, prestes a concluírem o curso, aqueles jovens foram instigados a participarem de um novo desafio: constituírem, no próprio bairro, unidades produtivas em suas áreas de competência, capazes de gerar renda e de promover projetos sociais com o objetivo de retribuir ao bairro o benefício que haviam recebido da sociedade.

 

Nascia, assim, a Cooperativa Pirambu Digital, formada por 54 jovens egressos de cursos técnicos regulares promovidos pela parceria CEFET Ceará, EMAUS e LG Electronics. Desde então, estes jovens tocam o próprio negócio, tornando-o auto-sustentável, criam laços com o seu bairro, auxiliam no desenvolvimento do seu entorno social e, mais importante, que viria a ser a característica maior do Pirambu Digital: ao contrário do que acontece na maioria das vezes, o bairro não perde seus jovens talentos recém-formados.